segunda-feira, novembro 13, 2006

O meu eu pediatra VS. as vagas de clinica geral

Eles têm vindo a aumentá-las... Mas agora, que chegou a vez do mexilhão (aquele que se lixa sempre, sabem?)... 25% das vagas do internato médico 2007 são para a especialidade de clinica geral e medicina familiar. Assim determinou o sr. ministro. Entendo que haja falta de clinicos gerais e não tenho nada contra ser clinica geral... O meu eu altruísta entende isso tudo mas (posso ser egoista e por as politicas do ministério da saúde de parte?) dou por mim a pensar...
Se uma pessoa não for um espirito (mesmo, mesmo muito) iluminado, como é que faz para ser pediatra?
P.s.: Depois venham-me falar de fuga de cérebros, venham... Quando este cérebro e respectivo cerebelo, ambos iluminadissimos (mas não "mesmo muito iluminados", que sempre pensaram que ser pediatra era bem mais do que saber de cor o Harrison's Principles of Internal Medicine), derem de fuga para uma missão perdida no mundo... aí é que o sr. ministro vai ver o que perdeu :P ... E não diga que eu não avisei!

5 comentários:

NonSense disse...

lolol! Pelo que li aqui e pela ideia k tenho de ti (apenas pelo que leio, claro) vai mesmo perder algo de especial! Mas quero acreditar que vais conseguir! Força aí com o Harrison! Daqui a 4 anos (?) é a minha vez... :) Kiss *

S. disse...

Bom...acho que o que vou escrever não me vai granjear muitos amigos. Primeiro e antes de mais vou referir-me à parte com que concordo:
Nunca gostei do sistema de selecção de alunos de Medicina Português. Gosto muito mas muito mais do sistema Americano. Ao invés de olharem só a médias entrevistam os candidatos a médicos e auferem a razão porque querem ser profissionais de saúde, qual a experiência que têm no campo da Medicina etc. etc. etc.
A média interessa mas não é o único critério. Conheci pessoas com óptima média que não entraram em Medicina (tente para o próximo ano, vá experimentar trabalhar um pouco num hospital como voluntária ou isso e depois veja se é mesmo isso que quer)porque o entrevistador considerou que alguém que nunca saía do quarto a "marrar" para a elevada média que tinha era uma pessoa com fraca experiência de vida e que não tinha maturidade para tomar uma decisão de generosidade como deveria ser a de se tornar médico/a.
Devo ressalvar Shara que considerando o "pouco" que conheço de ti, acho que passarias na entrevista. Mesmo se no teu currículo não incluísses trabalho voluntário em campos de refugiados etc.

Bom, claro que o sistema Americano tem a ENORME desvantagem (diria até injustiça) de obrigar a grande maioria dos mortais a pedir um empréstimo brutal para poder pagar o curso. Num país onde estamos habituados a dizer que 1 euro e 90 cêntimos é muito caro para uma refeição na cantina porque os "nossos" impostos deveriam pagar isso tudo...imaginas bem o sucesso que seria teres de pedir 50 mil euritos ao banco para pagar o cursinho.
No entanto...uma coisa é certa (e não digo que devemos ir por aí) só mesmo os que QUEREM mesmo ser médicos ou os que têm pais ricos (não precisam de ir ao BES) é que se aventuram a fazê-lo.

Voltando aqui a Tuga-land. Shara a "fuga de cérebros" não se refere a médicos. Até percebo que estejas preocupada com as vagas. Tu tens mesmo vocação para Pediatra, é mesmo o teu sonho. Ao contrário de um familiar meu que depois do exame ainda foi escolher a especialidade que deveria fazer de acordo com a probabilidade de subir na carreira, consoante as pessoas que estavam em linha de ascensão no hospital etc. de acordo com vagas e condições do hospital...ou seja, como tinha muito boa nota no exame deu-se ao luxo de escolher primeiro mas...nem sabia o que havia de escolher. Só que o sistema em Portugal está feito para escolher pessoas que conseguem estar fechadas num quarto semanas sem sair (não, não estou a exagerar) com comida posta à porta, a memorizar.
E quanto a mim-esses não serão necessáriamente os melhores médicos (assim como não serão os piores, cada caso é um caso).
Posto isto, a "fuga de cérebros" refere-se a pessoas que por exemplo têm 50 anos e vivem de bolsas que se renovam todos os anos (ou não) e que fazem a investigação que médicos e outros depois usam. Pessoas que sabem o que é estar desempregado (os médicos cá não sabem o que isso seja, o "pior" que pode acontecer é terem de escolher ser médico de família-mas têm mesmo de escolher? Não podem tentar ingressar na sua especialidade de eleição no ano seguinte? Se não acho isso mal claro)e que não têm direito a Segurança Social etc. porque nunca descontaram porque não os deixam descontar porque segundo diz o governo:"Depois ficaria muito caro pagar essas reformas". Pessoas que trabalham fins de semana e até às 22H sem horas extraordinárias pagas. Esses sim-constituem as "fugas de cérebros". Porque aqui, aqui carreira de Investigação ao contrário do que se diz aos miúdos do liceu por aí, só para Inglês ver.
Vais-me desculpar mas exercer medicina em Portugal ainda está repleto de privilégios. Sair às 13H do hospital e ir para o emprego número 2, 3, 4? Para a grande maioria das pessoas ter o emprego 1 já era uma grande coisa.

Shara não estou a dizer que não tenhas razão para estar chateada-claro que tens! Vais ter de te concentrar e tentar não deixar isso prejudicar o teu estudo. KEEP UR EYE ON THE BALL. Mas olha que só mesmo os teus colegas de medicina é que vão perceber a "novidade" desses sentimentos de frustração e angústia porque aos olhos de muitas outras pessoas de muito valor, esse tipo de frustração e raiva de uma vida investida a estudar por um sonho para depois ficar sem tapete debaixo dos pés...já é uma história muito antiga...

É claro que lá porque o vizinho sofre de enxaquecas desde os 5 anos isso não significa que a tua não te doa agora.
suponho que escrevi isto mais por causa da fuga de cérebros que outra coisa. ainda não conheci nenhum médico "em fuga". O meu familiar foi aos USA, esteve lá 6 meses, gostou mas decidiu que cá tinha uma vida melhor.

Espero que consigas ser Pediatra. Era a ti que gostaria de confiar os meus bébés "imaginários".
Força.
S.

Shara disse...

Tens toda a razão S. Toda, toda. E eu disse isso inicialmente. O meu eu altruista entende que é MESMO necessário ter clinicos gerais. O meu eu q tem olhos para ver o q se passa á volta entende que sou uma previligiada, sim. Porqeu acabei o curso em Julho e em Janeiro tenho colocação garantida. Se calhar não onde queria, mas tenho. Também lutei para isso, é veradde. Mas existem muitas outras pessoas que lutaram e lutam constantemente e não têm o previlégio de conseguir ter um emprego que as realize, nem sequer um emprego. O "eu" que escreveu o post foi o eu que quer fazer aquilo que ama e o que sempre sonhou. Só esse eu é que teve tempo de antena. Nem quis de forma alguma desvalorizar a enxaqueca do vizinho, já que comparada com a de muitos a minha é apenas uma cefaleia de tensão que até alivia com paracetamol. Quanto a sair do hospital ás 13 h, não posso concordar. Cada caso é um caso certamente, mas a maioria dos médicos com que lido nos hospitais centrais não sai ás 13h. Antes pelo contrário, pelo menos durante o estágio de medicina interna, entrava diariamente ás 8h15 e devo ter contado as vezes que estava despachada para almoçar ás 14h, sendo que depois voltava para a consulta e enfermaria. E digo-te, seis horas numa enfermaria de medicina interna é osso duro :P Muitos também fazem bancos de 24 horas, principalmente na medicina, cirurgia e pediatria. Há previlégios sim, mas a falta de trabalho não é um deles (se é que isso é um previlégio).
De qualquer das formas entendo perfeitamente que a fuga de cérebros não tem nada a ver connosco médicos, foi só uma forma de expressão.

Peço desculpa se houve algo de presunçoso no meu post. Espero que o pessoal da investigação não me odeie. Até porque eu também pertenço ao grupo que acha preocupante o rumo que a investigação está a tomar em Portugal. Ou o rumo que não está a tomar.

S. disse...

Oh Shara acho muito impossivel alguem odiar-te :)
Eu sei- tu dizes no blog logo no inicio que sabes que sao precisos mais medicos de clinica geral etc.
E continuo a achar que tens direito a estar preocupada e chateada mesmo sendo precisos esses medicos. Acho o sistema de "selecção" deficiente. Nao e assim que vamos la mas pronto.
Sabes este desabafo aconteceu aqui, mas na realidade e fruto de muita coisa que tenho ouvido ultimamente, alguma dela por parte de medicos que ate ja sao medicos ha algum tempo. Calhou este blog fazer o click final.
Eu e que estava com medo que ficasses zangada. Mas pensei: vou escrever a mesma :)
Estuda muito Shara. Muito. Vou ficar a torcer por ti.A serio. Se dependesse de muita gente podiamos estudar cada um o seu capitulo e juntar esforços ... mas não dá...:(
Quanto ao rumo da investigação-os bolseiros também não se organizam...a culpa também se distribui por muitos lados.

Beijo
s.

Shara disse...

NonSense, merci por me adicionares á tua list. Já passsei no teu blog ;) Viva o arraial da cerveja LoL Se fazes daqui a quatro anos, começa a estudar já! (mentirinha, era so eu a meter-te medo) Brigado pela força. Beijinhuz e bem vinda!