domingo, outubro 15, 2006

Pedro, o Milionário

Estou chocada, confesso. Agora entendo porque não vejo tv.

Hoje á hora do almoço vi um programa. Ainda estou chocada. Segundo o que percebi, é um reality show em que "14 mulheres mulheres entram numa quinta luxuosa onde durante 24 dias vão viver um verdadeiro conto de fadas, sabem que vão conhecer e conviver com um homem elegante e com algum dinheiro, mas logo à chegada são informadas de que o homem com quem vão conviver nas próximas semanas, recebeu há seis meses uma grande Fortuna...avaliada em cerca de 20 milhões de euros!".

Como é que 14 mulheres bonitas (a maioria), jovens, com braços e pernas e cérebro e essas coisas todas, se propõem a isto?

Escusado será dizer que as meninas andam todas maravilhadas com os cenários de muito luxo, os passeios a cavalo e as limusines, a mansão etc e passam o dia em conflitos, intrigas e birrinhas. Tipico. Há uma que passou o programa todo a chorar. Ela era chorar com medo de não ser escolhida, ela era chorar quando foi escolhida (choro ao qual, neste momento, adicionou um ligeiro tremor), ela era chorar quando soube que iam para Barcelona... Por favor, com tantos motivos para chorar!!

Entretanto quando souberam que iam para Barcelona, uma das primeiras perguntas das meninas foi "será que o Pedro nos vai levar ás compras?"... E trabalhar para poder ir ás compras com o seu próprio cartão, não?... Continuo chocada.

"No final, apenas uma mulher será a escolhida pelo Pedro, e a quem ele terá que contar toda a verdade, ou seja, que não é milionário! Será que se não fosse pela conta bancária, ela nunca se interessaria pelo Pedro? Ou será que ela vai perdoar esta grande mentira e no final o amor ultrapassa tudo?"

AMOR???? Mas alguém ama alguém depois de estar 24 dias num programa ao qual concorreu porque o dito cujo homem dos sonhos era milionário? Pode ser de mim, mas há algo muito errado aqui.

A unica coisa que este programa passa é a banalização. A banalização dos sentimentos, a banalização da mulher. Enfim, é o eterno imortalizar da mulher bonita, burra, fútil e interesseira.
As femininistas que queimaram os soutiens há 30 anos para permitir que a mulher tivesse mais direitos devem andar todas a dar voltas nos caixões... Bem como todas as pessoas que actualmente lutam pela dignificação da mulher por esse mundo fora.
Porque sim, pode ser só um programa de tv, mas é um programa de tv em que a mulher é seduzida, humilhada, vulgarizada em troca de brilho, de luxo, de dinheiro. E isso é o que passa para fora, para a sociedade portuguesa (que de si já nem é nada machista e onde nem se dá o caso de uma em cada três mulheres ser vitima de maus tratos...), para as meninas portuguesas que são bombardeadas com este triste panorama durante o almoço de domingo.

Continuo chocada. É que há mulheres independentes, que trabalham e fazem para ganhar as coisas que tem. Que não se iludem com luxo nem com dinheiro. Que não precisam que o homem que escolhem seja milionário para o amarem. Que conquistam cada bocadinho do seu espaço, que respeitam e esperam ser respeitadas. Mas dessas a TVI não fala.

10 comentários:

K@ disse...

Esta questão poderia levar a uma muito graaaaaaaaaaaande discussão acerca do que a tv deve mostrar e não mostra. É uma velha questão, aliás; que nunca será cabalmente esclarecida.

"Pedro, o milionário" é um produto, televisivo, feito num molde "x" para um público "x" (molde adequa-se à audiência).

Tal como outros programas (na TVI e nas outras estações) são feitos com moldes "y" e "z" para os correspondentes públicos.

Se me perguntarem o que passa, direi que passa a imagem de que há, efectivamente, quem se dê a algo como ir para a tv só porque quer aparecer, ainda para mais dando a imagem (e em alguns dos casos, nestas miúdas do programa, até será a sua verdadeira forma de ser e estar, acredito) de que são "ocas" e "cabeças de vento", simplesmente rendidas ao guito do menino. A mim não me choca. Há, de facto, pessoas assim... e se calhar não são assim tão poucas. Nós não seremos assim... mas há quem seja (nomeadamente o público "x").

Tudo é criticável, de um lado e do outro do ecran.

O exemplo disso é a Floribella. Uma série juvenil (que deveria passar a meio da tarde), fantasiosa e (por demais) irreal é estrela de prime-time da SIC... e tem audiências, ANTES e DEPOIS do Jornal da Noite, o expoente máximo da seriedade de qualquer tv. O mesmo se aplica aos Morangos, só que ali há alguma coisa de realismo, ainda que não muito.

Na RTP, escolhe-se o Melhor Português. Porquê? Para valorizarmos o Eusébio em deterimento do Vasco da Gama?... Será preciso colocar tudo em forma de passatempo que alguém tenha de ganhar para (inevitavelmente) alguém perder? É da História de Portugal que se fala... e os "concorrentes" (grande parte deles, pelo menos) não podem defender a sua posição. Se o Humberto Delgado for a votos com a Rosa Mota, como é que ele apresenta novas razões para ser escolhido? Enfim... se calhar o público "z" desse programa venha a achar que a designer Fátima Lopes é mais importante para o país que D.Afonso Henriques... Será um melhor programa que o "Pedro, o milionário"?...

A mim pouco me choca o que venha da tv. Talvez porque convivo de perto com o que se passa nos dois lados do ecran... mas pouca coisa me choca, de facto.

Como vês, a discussão é (e sempre será) grande (como este comment, de resto - peço desculpa). E nunca haverá uma cabal resolução para a contenda.

O Nestum de Figo é também um produto... e é criticável a sua existência (oh! se é!), quando há outros Nestum's tão bons quanto o de Chocolate e o de Arroz, por exemplo. Mas há mercado para o de Figo. E por muito que eu queira que ele desapareça do mercado...!

Shara disse...

É... rendi-me ao teu comment. Tens toda a razaão... provavelmente o que deveria ter feito era desligar a televisão, já q não faço parte do publico "x". Há mercados para tudo. A minha duvida é se, com a desculpa de que há publico para tudo, se deve continuar a banalizar algumas coisas realemnte importantes. Mas... stop!pára tudo!... Ya, haver publico é perfeitamente plausivel. Afinal de contas quem precisa d valores e principios? LoL Estes programas dão dinheiro e audiencias. Nem que seja a minha audiencia, que fiquei a ver o programa até ao fim. Chocada, sem concordar etc... mas vi-o até ao fim.

esquizoide disse...

a televisão desaproveita-se, por escolha... é o intrumento informativo e educador mais potente... mas só o é em potencial, porque depois presenteia o público, já de si desinformado e sem educação (quer a nível de cortesia para com o próximo quer a nível de escolaridade e capacidade de pensar por si próprio), com estes dejectos dignos de formar gás natural... não vi o programa, mas acredito q seja tal como o descreves, e assino em baixo de tudo o q escreveste (mesmo n o aplicando ao dito programa, aplicando a tantos outros q dão nas 20h de emissão)...

o q se safa ainda é a tv shop :P

beijinhos e bom estudo (e restante vida, q afinal ainda vai existindo, debilmente!)*

Ana disse...

Ora aqui está algo q poderia muito bem ter sido escrito por mim! Há q tempos q ando para fazer um post sobre isto! Mas até me poupavas trabalhinho se me deixasses linkar... posso?
(agora ando num de linkar... sem pica para escrita..)

Ana disse...

E já vi q o estupido do Beta não mostra o profile...

(para-mais-tarde-recordar)

eu estou nos teus (tão poucos) links????)

Shara disse...

Ana, linka á vontade... :) Sim, está... Axo o teu (posso tratar por tu, posso?) blog simplesmente delicioso... Não perco uma oportunidade de espreitar as aventuras do Biléu e da Camila :) Adoro! Muito bom o teu blog. Beijinhuz e bem vinda.

P.s.: Desculpa ter-te adicionado á minha pequenita (mas boa) lista de blogs favoritos sem pedir autorização...

Anónimo disse...

hum... eu gosto de nestum de Figo, mas nao vejo TV. Nao vejo porque:
1. nao ha quase nada que me agrade
2. quando ha apanho a meio do campeonato ou nem aparece porque a grelha de programacao esta a cargo de alguem bipolar que gosta de gozar com o pessoal
3. porque prefiro ir a ginastica, ao hip-hop e as aulas de mandarim

Nem sabia que existia o "Pedro o milionario!". Na altura ate pensei que estivessem a falar do meu irmao (ja agora ...medico)
:)

Shara disse...

Anónimo: eu também só vi o programa porque domingo á hora de almoço não há aulas de hip hop LoL Hmmm podia sempre tentar aprender mandarim, mas acho que se quiser continuar a ser como o teu irmão (médica!... não milionária!) tenho é de me concentrar no meu livro de exame que, diga-se de passagem, quase me parece chinês. Bem vindo!

marco disse...

Ninguém vê mas todos sabem os detalhes...
este programa só mostra como as mulheres funcionam hoje em dia... o amor mede-se pelo tamanho da conta bancária. se um homem tem dinheiro é um amor se é pobre não presta. infelizmente é assim que vivemos. amor é coisa do passado. eu sou um gajo e faço exactamente isso com as gajas. todas ficam imediatamente disponiveis quando mostro dinheiro. levei todas com quem andei pra cama, solteiras, casadas, comprometidas, etc. incluindo aquelas todas pudicas que apregoavam-se certinhas... pois pois são as piores. gajas... são muito faceis, basta abrir a carteira...

Shara disse...

hmm não sei marco... talvez aquelas com que tu andas sejam todas assim... também as há é verdade, e pessoas futeis atraem pessoas futeis. Por isso aconselho-te (antes de generalizares as tuas experiências a todas as mulheres) a tentar descobrir em quem está o erro. Bem vindo.