quinta-feira, outubro 05, 2006

De bem com a vid-ómetro

Hoje liguei o "DeBemComAVidaómetro".
Maus feelings atraem sentimentos ainda piores e eu recuso-me a ficar amarga.
Hoje tou leve, livre e solta. De bem comigo e com o meu deus (Mr P não me batas). De bem com o Mr P (espero), já que cheguei á conclusão que não há muito a explicar nem muito por onde discordar. Apenas uma convicção de que se existe algo que faz tão bem, não pode ser mau. Ainda que na sua forma seja diferente de umas pessoas para outras.
Hoje percebi que há horas do diabo mas que também há muita gente boa á volta. E os que não parecem assim tão bons podem ser reinventados. Hoje já não estive taquicárdica, nem tremi. Talvez seja só a anemia a melhorar ou seja o efeito de menos cafés diários LoL Mas hoje também percebi que "Misery needs company", e nah nah ni nah nah, eu não 'tou nessa.
P.s.: Por falar em optimismo, acabei de ler o blog do Matrafão... e acho que ele também me entende, de certeza! ;)

1 comentário:

Sebastião da Graça disse...

Está complicado colocar um comentário!!

Oi Sharita, também eu já sofro de saudades de ti, dos outros, até da Guida, vejam lá(!), mas já não é novidade nenhuma. Não é de forma alguma menosprezar a saudade, mas nos dias que correm até já tenho saudades do cheiro a gangrena... :)

Mas antes de me ir embora, queria só comentar um post que foi, pelos vistos muito debatido, por um tal Mr P (que suspeito quem seja!!), e que não pude deixar de espreitar.
Também eu sou crente epraticante o bastante para estar à vontade nesta discussão. Por isso mesmo é que digo que é muito bonito andar a "evangelizar" com palavras, quando são os actos que deviam realizar as pessoas. Vou acabar rapidamente, porque não ando mesmo com cabeça para grandes reflexões (fiquei estúpido, e além do mais dão dores de cabeça), com um breve pensamento: Gandhi, que foi Hindu, vivia fascinado com o que o ensinamento cristão profetivaza, pensou mesmo em mudar de religião, em determinada altura, mas nunca o fez porque sempre disse estar desiludido entre aquilo que se dizia e o que realmente de fazia enquanto cristão. Ele decidiu sempre agir em vez de falar.

Beijinhos
e espero que pelo menos no dia 15 de Novembro nos possamos encontrar todos, que nem cordeirinhos antes da matança!

Sebastião da Graça (e não aquele outro nome que me chamaste :) )