terça-feira, setembro 12, 2006

Flores

Ofereceram-me flores hoje.

Três pequenos cactos. As plantas indicadas para a menina espinhuda que sou.

Fico feliz. Não precisamos de ser todas rosas vermelhas.



P.S.: Os cactos já têm nome. O maior, com mais espinhos chama-se "Cardio". Há um pequenino com milhentos picos afiados que se chama "Hemato". E o outro, que nem é grande nem é pequeno, com espinhos q.b. chama-se "Nefro". Tudo em honra dos espinhosos capitulos do Harrison.

2 comentários:

Pedro Zenoglio disse...

Os cactos são plantas muito interessantes...
É verdade que tem espinhos, mas sabem viver com pouco. Fazem milagres com uma gota de água.
Não tenhas vergonha dos espinhos (jardineiro experiente há de saber lidar com eles) orgulha-te antes com aquilo que fazes com a água...
Bjno

Sebastião da Graça disse...

Olá Sharita! Também já estou com saudades, de ti e do tempo em que tudo na Medicina era idílico. Só precisávamos dos doentes e de nós próprios para aprender Medicina e sobretudo sobre a vida e condição humana. Mas agora tudo é um caminho espinhoso, não só até Dezembro, mas após essa data fatídica, porque o trabalho escravo começará!

Espero que o teu estudo esteja bem melhor que o meu, e que os cactos espinhosos (os verdadeiros) te tenham sido oferecidos carinhosamente e não atirados com a mais agressiva violência dos cactos harrisonianos!

Beijinhos