segunda-feira, agosto 21, 2006

Gargalhadas no silêncio

Em terras do Douro, tirei umas horinhas do meu tempo de estudo e fui ver os meus primos que também andam por cá. Precisava deles. Todos arranhados, morenos, barulhentos e enormes. Soube-me pela vida. Foi dificil convencê-los que não podem ir para a água a seguir ao almoço porque a barriga que está cheia de comida incha e depois ficam com dói-dói e têm de ir ao hospital. Ao que a Maria respondeu "não faz mal". Pois... Ela deixa-me sempre sem palavras.
O barulho dos meus Tarzans e da pequena Emma (que fala francês comigo... adoro, adoro!) constrasta na perfeição com o silêncio do lar da Naná. Escusado será dizer que eles entraram lá e deram vida ao lugar. Arrastaram-se nos corredores, empoleiraram-se na cama e lambuzaram a Naná de beijos ("vá, tudo a tirar a pastilha antes de dar beijinhos..."), viraram a cadeira ao contrário, meteram-se com todas velhotas que encontraram e quando dei por ela estava a Emma quase quase a tirar a "tampinha" inferior do saco de algália. "Pour vider le pipi".
O barulho e as gargalhadas das crianças são das coisas (felizmente) mais dificeis de controlar. Mas são as crianças que, ao não se apereceberem da doença, da morte e do sofrimento, conseguem transfundir felicidade.
Hoje o estudo tem outro sabor, o sabor das gargalhadas dos meus pequenos.
P.s.: By the way, ainda estou viva. Ainda estou no Porto com as outras aprendizes de feiticeira, a ser muito bem tratada, acarinhada e incentivada. Só tenho saudades. Da minha mãe e avó. E do mano.


2 comentários:

mano_da_shah disse...

Todos os dias visito o teu blog,a cusca de algo mais que passam ao lado nas conversas telefonicas , fecho a pagina com um sorriso nos labios. Saber que estas bem acaba por ser um tonico e um incentivo para mim para cruzar todos os obstaculos que surgem no dia-a-dia , nao e facil estar longe das pessoas que adoramos, mas sei que mais cedo ou mais tarde havemos de estar os três juntos de novo.
Vemo nos em Dezembro..em Moçambique :)

Shara disse...

Em Moçambique, mano...em Moçambique. Aiii vai repetir-se o filme do Zimbabwe, sempre com a Coca-Cola nos queixos LoL Adoro-te. São voces que me inspiram a nao desistir nunca.