sábado, novembro 08, 2008

...

Ajuda-me a sentir. Que vale a pena. Que isto é o que sempre quiz. Muito mais que querer, é o que me estava reservado por Aqueles que percebem o meu destino, mais que eu.

Ajuda-me a acreditar. Nestes dias em que me dói tudo. Desde o couro cabeludo (por horas infindáveis de "rabo de cavalo" e ganchos) ao "bundão" (outrora empinado mas com tendência a achatar por "infinitos tempos" sentada), passando pelos olhos (cansados de ver, de ler)... Dói. Ainda que os mimos atenuem. No fundo o que dói mais é a alma. Esta alma inquieta de não querer nunca ceder. De querer ter tudo, até o cansaço. Mas que dói dele.

Ajuda-me a pensar. Nestes dias em que me dói tudo. Ajuda-me a ver que vale a pena continuar. Que valem a pena os sonhos, as dores e o cansaço. Ajuda-me a acreditar, nestes dias em que me dói tudo, que não é só o fim que conta, que os finais podem ser mudados, reconstruidos e ainda assim, felizes.

3 comentários:

esquizoide disse...

Não me querendo intrometer na tua prece, tenho que te dizer uma coisa.
O meu pai disse-me isto e chego à conclusão que (como em quase tudo) eles sabem melhor que nós...
Muitas vezes a ideia com que vamos é apenas uma ideia. Não é nem deve ser tida como uma limitação ou uma missão.

Acredito que seremos felizes a fazer muitas coisas, não apenas aquelas que imaginámos para nós.
Porque há imenso que desconhecemos em nós próprios, e muitas vezes não desconfiamos sequer que nem sempre o que queremos é o que nos faz mais feliz.

Não desanimes, não páres de lutar e acredito (como tu tb deves acreditar) que vais ter a tua recompensa, na forma em que vier, mas que te faça feliz e completa, que é o importante.
Um grande beijinho de boa sorte uma vez mais**

Dr Surfer disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Eu disse...

não posso deixar de comentar!

retroceder é hipócrita por dois motivos: daqui a uns anos sou eu e encolhi-me um bocadinho com as tuas palavras; e depois porque...parabéns! valeu a pena! Final feliz!

e há um terceiro motivo: parabéns outra vez! Não pude comparacer mas agradeço o convite!

Continuação de boa-sorte: com os freios de língua dos pequenos (brrr!) e com todas essas coisas giras e recompensadoras.

Beijinho,

Catarina


(p.s.: reconheci-me quando li a parte do rabo!)