quarta-feira, fevereiro 22, 2006

Hoje

E hoje era aquele dia que eu acordava mudada. Era uma pessoa mais tolerante, menos cansada e com mais vontade de viver. Era o dia em que acordava em paz com o mundo e acenava, a mim mesma, uma pequena bandeira branca. Era dia de tréguas, hoje.
Hoje era o dia em que eu te dizia o que sinto, sem aquela bola na garganta, sem atropelos de palavras e sem medo. Era hoje, aquele dia em que eu me dava um bocadinho mais sem exigir nada em troca.
Era hoje que eu me sentia bem comigo mesma, em que me aceitava e encontrava um objectivo.
O dia em que me tornava uma pessoa melhor. Era p’ra ser hoje.
Mas acordei tarde, com olheiras, com frio e três borbulhas na testa.
Achas que dá para ficar para amanhã?

2 comentários:

Modi disse...

O amanhã está perto não é??
O hoje está mais perto ainda, talvez tão perto que se torna assustador...
Mas temos sempre o amanhã
Ele vai estar sempre conosco
O Hoje e o Amanhã..

Flor disse...

Idealistas num segundo e terrivelmente mundanos logo a seguir! É terrivel mas é assim.